May 27, 2016
Ricardo
Peloi

As APIs são a evolução da Internet

A próxima etapa da evolução das empresas é o desenvolvimento próprio de uma API. Veja exemplos de como empresas e organizações estão fazendo isso.

Década de 90, saudades

Quando a Internet começou a se popularizar, na década de 90, muitas empresas começaram a criar seus próprios websites. Era a maior novidade: ser encontrado na Rede!Era uma época em que os sites tinham um design muito distante de bonitos ou intuitivos, e até as nossas atuais empresas referência em beleza e usabilidade (aka Apple) sofriam na criação de suas páginas:

A próxima etapa da evolução das empresas é o desenvolvimento próprio de uma API. Veja exemplos de como empresas e organizações estão fazendo isso.

Bonito, né?Nesses dias, o sucesso da presença online de uma marca era medido principalmente por pageviews. Basicamente, ter um site muito acessado, por quem quer que fosse, com uma alta taxa de clickthrough (navegação dentro dos links do site) era o sinônimo de sucesso desejado pelos Web Designers.Os conceitos de engajamento ou “presença social” não existiam. Até mesmo conceitos de navegabilidade e priorização de certas informações que favorecem a conversão dos usuários em clientes eram muito incipientes.

Fast forward para anos 2000!

Alguns anos depois, no começo desse século, a Internet já era uma ferramenta extremamente evoluída e desenvolvida. O ser humano estava aprendendo a tirar o máximo que a tecnologia permitia.A evolução das conexões domésticas e comerciais foi o que possibilitou os maiores saltos em questão de usabilidade. Dá uma olhada no site da Apple em novembro de 2001:

A próxima etapa da evolução das empresas é o desenvolvimento próprio de uma API. Veja exemplos de como empresas e organizações estão fazendo isso.

Agora, tínhamos imagens, menus personalizados, menos texto e mais botões. O que eu mais gosto nessa imagem é que agora temos um fluxo claro de navegação. O produto foco da Apple na época está na sua cara: iPod!Mas há outras informações interessantes e importantes e é claro, uma identidade visual já bem poderosa.Mesmo que eu tirasse todo o texto e imagens, deixando apenas as formas e cores, você poderia ter adivinhado que era o site da Apple. Percebemos que é um visual desatualizado, mas está claro de que empresa estamos falando.Pensando na parte mais técnica, a Internet já havia evoluído muito! Mais do que simples troca de bits de informação, todo o conhecimento ao redor dessa rede gerava negócios e inovações.O conceito de Web Programável se tornava cada vez mais comum, em que o site explorado por um usuário também poderia possuir versões que podem ser entendidas por máquinas (em formato XML, principalmente).Ou seja, deixamos de ter blocos de texto em caixas quadradas para passar a trabalhar com informações, sejam elas mais acessíveis e flexíveis para humanos, mas também para máquinas.Adivinha que empresa se destacou nessa época oferecendo um serviço simples, mas poderoso, para buscas de palavras-chave em sites de "toda a Internet"?Sim, em 1996 surgiu o Google, que realmente começou a se popularizar na virada do milênio. Ele não foi o primeiro buscador, mas sabemos que foi o mais bem sucedido.Com o crescimento das tecnologias de busca, a Internet reduziu seu status de "ninho de rato" para algo mais organizado, ou talvez, organizável. Eu não precisava mais sempre digitar um endereço no navegador.E é claro, se qualquer um poderia encontrar seu site, isso mudou a forma como a sua marca deveria ser vista na Internet. Surgiu o SEO, design e usabilidade passaram a ser essenciais.Hoje, é inconcebível que qualquer marca não seja encontrável na Internet. Até as barraquinhas de cachorro-quente tem site, ou no mínimo, fanpage em redes sociais. Senão, como serão encontradas? É praticamente como se algo que não está na Internet não existisse no “mundo real”.

Chegando ao presente

Seguindo essa linha, acreditamos que o próximo passo da escala é o desenvolvimento próprio de uma API.Por que? Porque hoje não existe mais site ou até Internet sem a existência das APIs.Pense no seu site preferido, no app que você mais usa, no serviço que sua empresa depende.E eu aposto quanto você quiser que há APIs expostas por esses sites, apps e serviços, ou que, no mínimo, há o consumo de algumas APIs externas.A história das APIs mostra que elas evoluíram organicamente, assim como a Internet e os protocolos de Redes, como eu expliquei acima. Ou seja, as APIs não vieram do nada e suas estruturas têm melhorado ano a ano.E melhor, os exemplos de uso de APIs, aplicações de negócios, exposição de dados públicos e integrações internas apenas corroboram a necessidade de adequar realidades para o Poder das APIs!Aliás, falamos sobre esse assunto em detalhes no Webinar O Poder das APIs. Clique na imagem ou aqui para conferir:

A próxima etapa da evolução das empresas é o desenvolvimento próprio de uma API. Veja exemplos de como empresas e organizações estão fazendo isso.

E para mostrar alguns exemplos aqui mesmo, basta você navegar pelo Blog da Sensedia! Mostramos casos de uso de APIs o tempo tempo. Eis alguns de meus preferidos!

Geração de inovação com APIs

  • Apps criados com base nas APIs de Spotify, Google Maps, Twitter, Instagram e Evernote. Essas empresas abriram seus serviços e recursos para que qualquer desenvolvedor no mundo pudesse criar aplicações. Ou seja, elas tornaram seus produtos plataformas, aumentando suas bases de usuários e oferecendo funcionalidades novas e mais poderosas do que eles jamais poderiam fazer!
  • Criação de programas de parceiros, como Uber, Cnova, B2W e outros marketplaces, fizeram, gerando estratégias de negócios diferenciadas e personalizadas para as necessidades de seus parceiros, também possibilitando diversificação e flexibilidade;
  • Exposição de dados públicos a favor do bem estar do cidadão, criando verdadeiras Cidades Inteligentes, como já vimos no Hackathon da cidade de Campinas, o Transparência Brasil, um começo de exposição no Dados.gov, e outros tantos exemplos fora do Brasil;
  • Ou então, o uso de APIs internas, que nunca foram expostas para o mundo, mas que são usadas por empresas de todo o mundo para acelerar integrações entre seus departamentos e reduzir overhead de processos e serviços, como fizeram Simpress e Sem Parar, clientes da Sensedia;
  • Todas essas empresas e APIs cadastradas no 99apis.com!

Se quer ver outros exemplos, realmente recomendo que confira o Webinar O Poder das APIs (no banner laranja, acima).Você não vai deixar de notar que estamos na Era das APIs. E quem quiser manter suas APIs a la sites da década de 90 (ou seja, desatualizadas ou inexistentes), provavelmente estará perdendo muitas oportunidades!Não seja esse cara ;)---Gostou do artigo? Que tal receber os nossos melhores conteúdos, do conforto do seu email? Nossa newsletter é recebida por mais de 7000 pessoas! Basta se inscrever abaixo:

Obrigado pela leitura!

Voltar ao arquivo