April 11, 2018
Eduardo
Arantes

Tendências em APIs 2018

Todo início de ano as pautas sobre os rumos de TI giram em torno de tendências. Por um lado, há a preocupação com melhorias nos serviços entregues e alinhamento com o mercado, por outro, os hypes que surgem como meio de diferenciação dentro das empresas. Para esclarecer mais esses tópicos, levantamos algumas realidades e tendências para o ano de 2018 e como isso impactará nas estratégias da empresas.As APIs crescendo com tudo. Temos diversos cases de transformação digital através de APIs, e sua adoção só se torna maior no mercado. Mais do que uma ferramenta de TI, as APIs estão diretamente relacionada com Novos Canais, Produtos, Modelos de Negócios.Uma pesquisa realizada pela Sensedia em parceria com a IDG em 2017, mostrou que apenas 25% das mil maiores empresas do Brasil possuem uma estratégia de APIs. Esse número chama ainda mais a atenção quando temos um comparativo com o restante do mundo, onde as APIs já estão num ponto de maturidade bastante alto dentro das companhias. Por outro lado, as empresas nacionais que adotam esse tipo de estratégia têm apresentado uma evolução bastante positiva no assunto, como podemos ver em cases como Portocred e Natura.Um outro dado interessante é que 75% das empresas unicórnios no mundo são plataformas, ou seja, dependem de APIs para criação dos ecossistemas em torno delas. Além disso, um as empresas que se basearam em modelos de plataformas, construindo novas jornadas e conectando-se a parceiros, apresentaram um crescimento 20 vezes mais rápido do que as empresas tradicionais.

1. APIS como Estratégia de Negócios e Inovação

As APIs são mais do que componentes de TI. Elas são fundamentais nas estratégias digitais das companhias e estão mais relacionadas com Negócios do que com TI. Elas conseguem cumprir papéis que vão desde a entrega de valor para os clientes, até proporcionar velocidade para constante mensuração e evolução de produtos. Dentro desse contexto, podemos citar alguns pontos:Mais do que TI: APIs possibilitam novos canais, produtos, modelos de negócio e são habilitam a plataformização de negócios.API Product Manager: Diante dessas necessidades, surge um novo tipo de profissional dentro das empresas que é o encarregado de fazer a ponte entre TI e Negócios, e também de gerar valor em cima das APIs, medindo seus KPIs, monetizando e enriquecendo a experiência em torno delas.Inovação: Experimentação mais ágil para os produtos e serviços, redução de time-to-market, colaborações externas e hackathons.

2. Segurança de APIs

Segundo o levantamento O Estado das APIs no Brasil, realizado pela Sensedia e IDG, para 85% das empresas que utilizam APIs, Segurança é o ponto mais importante dentro da estratégia. Além disso, o OWASP 2017, que lista os 10 principais riscos na web, colocou na RC1 o item APIs Desprotegidas.O crescimento da adoção de APIs nas empresas implica numa maior exposição de sistemas críticos e dados sensíveis. Para grandes volumes, surge a necessidade de uma API Management para controle de riscos. E por que um API Management? Dentro das equipes de desenvolvimento de APIs, é importante que o foco seja todo direcionado para as necessidades de Negócios da empresa. A adoção de uma plataforma de APIs, desobriga as equipes de rotinas voltadas às questões de segurança, colocando um Gateway nessa função.Um outro ponto importante de citar é o onboarding de developers na sua API, ou seja, a implementação de diversos protocolos de segurança pode atrapalhar o uso das suas APIs e torná-las inúteis. O ideal é que haja equilíbrio entre o que será protegido, e a facilidade do consumo delas.

3. Governança de APIs

O crescimento do uso de APIs aumenta a necessidade de Encontrabilidade e de Governança por parte das empresas. Encontrabilidade é a interação entre o usuário e a API, que também compreende usabilidade, e que pode se refere ao “quão fácil” é achar a sua API.Governança é o controle que a empresa tem sobre todos os processos e padrões envolvendo os times de desenvolvimento e APIs. Uma tendência que está surgindo são as APIs entrarem dentro do contexto de DevOps com os times de Operações e Desenvolvimento de APIs trabalhando em conjunto para poder dar agilidade à exposição, desde o momento de concepção até operação, sendo esse o ponto em que Governança se torna mais importante. Há a necessidade de clareza em quais sistemas estão suportando determinada API, e quais as aplicações envolvidas nesse ciclo. Isso é essencial no momento de determinar ações de troubleshooting, ou até mesmo para insights nas estratégias de negócios.Outro ponto que podemos citar é a crescente preocupação com Developer Experience e todos os pontos relacionados ao onboarding das APIs, ou seja, a partir do momento em que ela é descoberta, quais os pontos importantes para que ela seja consumível. Para facilitar esses pontos de descoberta, o surgimento de Marketplaces de APIs é cada vez maior, pois habilitam novos canais de divulgação e distribuição para as empresas. Tanto DX e Marketplaces de APIs são interligados, um com o viés de onboarding e outro com viés de divulgação.

4. Regulamentações e Open APIs

PSD2

Em 2018 será implantado, na Europa, a regulamentação PSD2 (Diretiva revisada sobre os serviços de pagamento) que acabará com o monopólio dos bancos sobre a informação bancária de seus clientes e serviços. Na prática, significa que as informações bancárias dos clientes poderão ficar disponíveis, com autorização do correntista, para outras plataformas acessarem. Nesse cenário, o cliente poderia ter duas contas bancárias em diferentes instituições, mas o gerenciamento todo ser feito por uma terceira aplicação que unifique todos os lançamentos. Apesar dessa regulamentação ser, por enquanto, limitada à Europa, isso certamente provocará mudanças no mercado global.Por enquanto ainda não há perspectivas para isso chegar no Brasil, porém, outros modelos podem ser um alternativa interessante como é o caso do Open Banking, criando um conjunto de APIs que abra sua plataforma. Para bancos pequenos é médios é um grande diferencial competitivo, inclusive podendo competir diretamente com as grandes instituições como o caso das fintechcs.

5. Novas tecnologias e APIs

As APIs proporcionam uma grande vantagem em relação às novas tecnologias, pois permite uma fácil conexão com novos padrões sem a necessidade de grandes desenvolvimentos. É uma maneira de deixar sempre a casa arrumada para o que vem de novidades no mercado.Além disso, as APIs habilitam os principais hypes do momento como AI, bots e chatbots, IoT e Blockchain através do efeito de rede. A forma de conectar todos esses elementos para criação de aplicações completas e automatizadas se dá através das APIs justamente pela capacidade e facilidade de conexão entre diversas linguagens e tecnologias diferentes.

GraphQL vs REST

Hoje se fala muito em GraphQL como um substituto do REST, porém esse conceito está errado. São tecnologias diferentes e cada uma delas tem suas vantagens em determinados contextos. O primeiro ponto é pensar em onboarding das APIs. Devido a consolidação de REST no mercado, seu onboarding é muito mais facilitado pela maioria dos desenvolvedores, quando pensamos em GraphQL, devido ao seu recente crescimento, muitos developers ainda não estão habituados, podendo ser um processo complexo e com dificuldades que podem fazer com que sua API não seja utilizada.Dentro das diferenças entre eles, há no GraphQL mecanismos de construção de apps mobile que consomem facilmente GraphQL, agilizando bastante o processo de construção do aplicativo, enquanto que em REST pode ser que haja necessidade de mais de uma chamada para compor a informação. Hoje, aqui na Sensedia, pensamos em contexto para análise da adoção de GraphQL ou REST. Para composição de ecossistema de parceiros, por exemplo, um onboarding facilitado é essencial, logo, REST é um bom caminho a seguir. Para construção de apps web/mobile, GraphQL se mostra um caminho interessante com diversas possibilidades.Essas foram as principais tendências que levantamos aqui na Sensedia. Se tiver dúvidas em relação a algum ponto aqui, mande um e-mail pra gente que podemos bater um papo e esclarecer um pouco mais.

Obrigado pela leitura!

Voltar ao arquivo