May 11, 2018
Ricardo
Peloi

A revolução das fintechs na integração de sistemas

Em uma indústria de gigantes bancos, alguns serviços bem segmentados e criados com foco no cliente farão a diferença. Conheça a Revolução das fintechs.

Fintechs: A revolução nos serviços financeiros

"Ideias e soluções interessantes, mas sem as ferramentas ideais para colocar tudo em prática."Foi com esse mote que alguns profissionais de TI decidiram se mover para o Setor Financeiro e criar as startups de tecnologia financeira.Em um mundo onde as instituições financeiras possuem um certo distanciamento do grande público, envolvendo tecnologias antigas (COBOL!) e nem sempre tão preocupadas com as principais tendências de mercado, as finteches encontraram solo fértil.Então, fica a pergunta: você sabe o que são fintechs e como elas tem mudado a forma com que muitos administram seu dinheiro?

O que é uma fintech

O nome surgiu da união das palavras em inglês financial (finanças) e technology (tecnologia).De forma simples, trata-se de todo tipo de empresa com o foco em facilitar operações financeiras por meio de tecnologias para processar pagamentos, reduzir casos de fraude, poupar dinheiro e até mesmo desenvolver estratégias de planejamento financeiro.Diferentemente dos tradicionais bancos, é comum que existam fintechs que oferecem apenas um ou dois serviços, mas muitas vezes, de forma personalizada e integrada a outros serviços de uso cotidiano.Uma das primeiras que teve um grande sucesso foi o Paypal, serviço de pagamentos totalmente digital, criada pelo famoso e visionário Elon Musk. É um exemplo interessante de empreendimento, que rendeu a ele bilhões de dólares e incentivou a criação de outras empresas de inovação, como a Tesla (carros elétricos) e a SpaceX (exploração espacial).

Ok, mas a revolução das fintechs já chegou no Brasil?

Sim!No Brasil, as fintechs já são uma tendência e têm despertado cada vez mais interesse, tanto de empresas quanto de pessoas físicas. Por exemplo, o Nubank oferece um cartão de crédito internacional sem taxas, com diversas opções de personalização direto no app para smartphones, sem interação com agências ou gerentes.Outra empresa que tem se destacado bastante é o Banco Original, que conta com opções semelhantes a um banco tradicional, mas como o próprio nome já diz, expondo tais serviços de forma original, e principalmente, digital.E não são apenas startups que têm visto valor nessa nova tendência de mercado. Grandes bancos já apertaram os cintos e prepararam estratégias de modernização como (provavelmente) nunca antes em suas histórias.Por exempo, o Bradesco tem sua iniciativa Next, e o Itaú está fazendo uma grande campanha de marketing para promover novas funcionalidades digitais. Confira no vídeo abaixo:

Serviços diferenciados

Ao aderir a uma solução fintech, sem dúvidas, a maior vantagem é a praticidade em resolver tudo por meio de um software digital e acessível de qualquer lugar, evitando filas e toda a burocracia relacionada às instituições tradicionais.Outro ponto forte é que as fintechs costumam trabalhar com preços muito competitivos, o que implica em juros baixos e até mesmo na isenção de taxas, sem deixar que isso prejudique a experiência e o suporte aos usuários.A tecnologia foi o grande impulsionador revolução das fintechs, pois permite por exemplo, obter empréstimos ou flexibilizar suas faturas com apenas alguns cliques, no próprio smartphone.O já citado Nubank deixa o limite do cartão de crédito totalmente aberto, à escolha do usuário. Se você tem tendência a gastar demais, pode limitar o cartão a 100 ou 200 reais. Se essa é sua principal forma de organizar as compras, pode aumentar, em alguns cliques, para 1000! E caso esteja pagando as faturas em dia, o teto do seu limite pode aumentar após alguns meses.Sim, sou um feliz e satisfeito cliente do Nubank =)

Quem pode usar?

Assim como outras poderosas tendências de mercado atuais, que focam na Economia Social (ou do compartilhamento), como Uber e AirBnB, a Revolução das fintechs foi na mesma onda, mas não se limitou a ela.Certamente, existe um grande número de fintechs com foco no público pessoal, mas são as pessoas jurídicas quem mais tem voltado atenção a essa tecnologia.Administrar o dinheiro com custos baixos e agilidade é algo que ganhou boa recepção para potencializar a competitividade de empresas no mercado.Veja algumas das principais vantagens que potencializaram essa revolução:

  • pagamento de funcionários sem altas taxas de administração;
  • agilidade e praticidade para efetuar transferências bancárias, inclusive para outro país, simplificando a operações;
  • possibilidade de adotar uma administração financeira direta e com métricas já estruturadas;
  • carteira de investimentos e juros competitivos.

O que foi apresentado acima demonstra apenas algumas das muitas maneiras que as fintechs podem ajudar a descomplicar os negócios e reduzir custos do mercado corporativo.

O sangue que pulsa e aquece as fintechs

Por que essa chamada revolução surgiu agora, a partir dos anos 2000, mas com força total nos últimos anos?Bom, existia uma incrível barreira tecnológica que complicava as coisas, não apenas mercadológica.Imagine uma aplicação virtual para gerenciar suas finanças. Certamente, para que seja útil na sua vida, você precisa ter acesso a essa aplicação com poucos passos, de forma fácil e prática. Nada de caixa ou gerente na agência do banco.A resposta você já sabe: aplicações móveis, com sincronização de dados, velocidade de acesso, grandes bancos de dados e serviços ininterruptos."Mas implementar uma estrutura dessas deve ser caro e complicado!"Talvez há 10 anos atrás, mas com serviços de computação em nuvem (como os da Amazon), e principalmente, uma forma de trocar informações e serviços computacionais rápida e prática, tudo isso se simplificou enormemente.Em outras palavras, as APIs são responsáveis por tornar esse sistema mais simples, com uma interface amigável, dispor as estruturas na tela e até mesmo criar funções para integrar os sistemas de um banco de dados à tela do aparelho.Contudo, conforme as fintechs crescem, a complexidade aumenta, e em encontrar meios para interpretar as informações armazenadas ainda é um desafio para muitos negócios. Mas é evidente que o momento para criar um negócio assim chegou, com as ferramentas certas à disposição.Nesse sentido, não há como falar de fintechs sem antes entender a importância das APIs. Se estiver boiando nesse assunto, esse texto aqui explica tudo que você precisa saber:[caption id="" align="aligncenter" width="641"]

Em uma indústria de gigantes bancos, alguns serviços bem segmentados e criados com foco no cliente farão a diferença. Conheça a Revolução das fintechs.

O que são APIs: Introdução[/caption]E aí, caro leitor, gostou de conhecer um pouco dessa nova tendência? Pois saiba que as fintechs são apenas a ponta do iceberg!Confira nosso texto sobre outras duas tendências de Digitalização do Setor Financeiro.Abraço!

Obrigado pela leitura!

Voltar ao arquivo