August 3, 2017
Rafael
Rocha

O que é Open Insurance?

A revolução que as APIs trazem para os mercados é bastante grande. Novos modelos de negócios, serviços e aplicações surgem numa velocidade muito maior do que de anos atrás, e junto com isso, novos termos acabam se popularizando rapidamente, como o caso de Open Insurance. Mas, afinal, o que é Open Insurance?A definição poderia ser descrita da seguinte forma:

“Open Insurance é um termo emergente na indústria de seguros que refere-se a oferecer serviços e dados a parceiros, comunidades e startups com o objetivo de construir serviços inovadores-disruptivos, novas aplicações e modelos de negócio.”

Mas pela perspectiva técnica, o principal conceito de Open Insurance vem da união de Arquiteturas Abertas de APIs utilizadas em aplicações de seguros.

Por que a indústria de seguros deveria ser aberta?

As aplicações a seguir poderiam ser possíveis com a utilização de estratégias de Open Insurance:

  1.    Sinergia com Parceiros e as Insurtechs (Startups de Seguros): Uma vez que os dados e serviços estão disponíveis para parceiros e insurtechs, eles são estimulados a criar novos serviços e consequentemente, novos modelos de negócio.
  2.    Aplicações Disruptivas: com os dados e serviços disponíveis, as empresas de seguros podem combinar dados internos e externos por meio de uma arquitetura baseada na nuvem para criar novos serviços disruptivos. Por exemplo: dados sobre o clima (externa) podem ser combinadas com a geolocalização do consumidor (interna), e assim emitir alertas de furacões.
  3.    Novas Experiências Digitais: aplicações mobile e a Internet das Coisas (IoT) são algumas das possibilidades para a criação de novas experiências digitais ao consumidor. Mas essas aplicações precisam consumir dados e serviços oferecidos pelas empresas de seguros, que só é possível por meio de APIs externas.

As Dimensões do Open Insurance

Muito além de saber o que é Open Insurance, precisamos saber de suas dimensões. O diagrama a seguir ilustra as três dimensões do Open Insurance:

  • Inovação Aberta (Open Innovation): quando os dados e serviços estão disponíveis para parceiros, comunidade e ecossistemas de startup, soluções inovadoras e experimentais podem surgir.
  • Digital Experiences: a segunda perspectiva é sobre criar novas e inovadoras experiências digitais baseadas em serviços e dados de empresas de seguros. Todas essas experiências não se restringem a interações por meio de aplicativos de celular, mas através de novos canais como carros conectados ou casas inteligentes.
  • Novos Modelos de Negócios: por fim, todas estas inovações e novas experiências digitais podem resultar em novos modelos de negócios para empresas de seguros.

O Papel das APIs Abertas (Open APIs)

No ponto de vista técnico, as APIs Abertas formam o pilar principal dessa arquitetura. Vejamos o diagrama abaixo:

No lado esquerdo, temos as principais aplicações que foram descritas no tópico “Por que a Indústria de Seguros Deveria Ser Aberta”. E no lado direito está a interface interna (Insurance Internal Applications), onde de fato, os dados e serviços do negócio estão alocadas.E por fim, no centro estão as APIs, que integram as aplicações internas e externas. Mas não são apenas as integrações que importam. Existem outras funções que são tão importantes quanto essa:

  1.    Segurança: dados e serviços abertos precisam estar seguros em níveis diferentes dependendo do seu uso.
  2.    Monitoramento e Loggin: o uso de dados e serviços abertos precisam ser monitorados para evitar comportamentos inesperados.
  3.    Capacidade de Integração: a camada de API precisa entender o protocolo de serviços do legado e oferecer um padrão de protocolo, como o Restful.
  4.    Visão Analítica: a utilização dos dados e serviços precisam ser reportados para gestores e diretores através de dashboards, para que possam fazer análises estratégicas das informações, como analisar o retorno sobre o investimento, por exemplo.

Referências

Arquitetura de Microserviços habilitando APIs

Leia também

Impacto das APIs no mercado de Seguros AutoInternet das Coisas nos Seguros ResidenciaisO mercado de Seguros Saúde com tecnologia wearable

Obrigado pela leitura!

Voltar ao arquivo