May 7, 2020
Julia
Russo

Inteligência emocional em tempos de crise

O que é inteligência emocional?

Para a maioria de nós, o termo Inteligência emocional diz respeito a algo inato. Algum tipo de inteligência já presente em quem somos. No entanto, o conceito refere-se a uma capacidade, que não aprendemos na escola, mas que pode ser uma ferramenta útil no dia a dia, possibilitando encontrar um equilíbrio emocional para lidar com as situações difíceis. Segundo Daniel Goleman, psicólogo e phD no assunto, “o controle das emoções é fator essencial para o desenvolvimento da inteligência do indivíduo” e é sobre isso que o conceito aborda. A Inteligência emocional está diretamente ligada a capacidade de reconhecer, avaliar e aprender a lidar com seus próprios sentimentos e o dos outros, visando o desenvolvimento pessoal e profissional.

Porque temos falado tanto em inteligência emocional?

Nos dias de hoje, a exposição à velocidade e grande quantidade de notícias que chegam até nós, nos obrigam a tomar decisões ágeis e certeiras, fazendo com que muitas vezes passemos a sofrer de infoxicação, que significa termos dificuldade em digerir o excesso de informação.Somado a isso, estamos passando por momentos desafiadores que tem nos causado muito estresse, vindos de uma rotina que tem se transformado rapidamente. A cobrança excessiva em nos adaptar ao afastamento do convívio social, novos fluxos de trabalho e rotinas de casa podem fazer com que deparemos com pressões sociais e psicológicas cotidianamente. O fato de vivermos nossos dias de maneira incerta pode nos causar medo e ansiedade, e essa pressão que sentimos só contribui com o descontrole emocional. Agora imagine todos a sua volta passando pelo mesmo que vocêLidamos com pessoas o tempo todo e é neste contexto que conseguimos enxergar a importância de lidarmos com nossas próprias emoções e com as emoções do outro, desenvolvendo nossa inteligência de maneira intencional e nos permitindo enfrentar os desafios de maneira equilibrada, cooperando para que o outro não sofra com o impacto do que temos sentido.

Os 4 Pilares da Inteligência Emocional

1. AutoconhecimentoTer consciência de si mesmo nos permite ter a capacidade de entendermos quem somos e percebermos porque pensamos, o que pensamos e porque sentimos o que sentimos. Não é algo fácil. É um processo contínuo. É completamente improdutivo querer controlar algo que desconhecemos, por isso o exercício de autoconhecimento deve ser constante e sincero, só a partir dele é possível que nossas reações sejam coerentes com o que sentimos.2. AutogestãoRealizar a gestão de si mesmo envolve o autocontrole emocional, de maneira a expressar suas emoções apropriadamente em cada situação. É necessário identificar quais as razões internas de tudo o que sentimos para controlar as emoções que são geradas a partir das mesmas. De acordo com Marshall Rosenberg, “90% de nosso sofrimento acontece por causa de nossas interpretações”, por isso o autoconhecimento e a autogestão nos permitem ter maior clareza para tomar decisões, principalmente em períodos de instabilidade, como os de hoje. 3. EmpatiaTem a ver com o que nós vemos no outro, a maneira como escutamos e entendemos as emoções dos outros. Não sou eu, não são eles. Somos nós! Aconselhar, educar, colocar nossos problemas como maiores do que o do outro, tentar consolar o outro ou encerrar o assunto são fatores que nos distanciam da empatia. Segundo Carl Jung: “Ser empático é ver o mundo com os olhos do outro e não ver o nosso mundo refletido nos olhos dele”. 4. Gestão de relacionamento Está ligado a forma como nós lidamos com a individualidade do outro. Não é sobre manipular a relação com o outro, mas sim estabelecer conexões reais e de troca, baseadas no respeito, na empatia e na compaixão. Precisamos entender que cada um passa por situações únicas que o moldam e trazem consigo um repertório que influencia e altera o próprio comportamento.

Escolhendo suas batalhas

Muitas vezes tentamos conciliar o desenvolvimento da nossa inteligência emocional com os desafios impostos a nós de acompanharmos o ritmo com que as coisas estão “caminhando”(ou correndo) e, neste ponto, existe uma grande dificuldade em gerirmos nosso tempo, nossas emoções e reações. Neste contexto, vemos a importância de escolher cautelosamente nossas batalhas. Afinal, é psicologicamente impossível lidarmos com todas as batalhas que nos são apresentadas.As emoções conduzem nossas decisões a cada momento. Nosso cérebro funciona como um administrador de emoções, produzindo, primeiramente, respostas emocionais e instintivas aos estímulos e em seguida, racionalizando a informação. Se analisarmos quais batalhas estão sob nosso controle, se é possível interferir e/ou influenciá-las e usar nossas emoções de forma inteligente em cada situação, seremos capazes de ter o controle de nossos impulsos e de termos sucesso nos relacionamentos, nos âmbitos pessoais e profissionais. A Inteligência emocional proporciona ao indivíduo pensar antes de agir, para que saiba tomar decisões diferentes das que tomaria no momento em que o estímulo foi capturado.

Vantagens ao desenvolver sua inteligência Emocional

  • Nos permite ter Equilíbrio emocional;
  • Faz com que os níveis de ansiedade e estresse diminuam;
  • Influencia na clareza dos objetivos e na capacidade de tomada de decisão;
  • Melhor gestão do tempo e aumento da produtividade;
  • Desenvolvimento de relacionamentos mais saudáveis.

O que a Sensedia tem feito para colaborar com a inteligência emocional das nossas pessoas?

- WGO (“What’s Going On”): Alinhamento das expectativas e comunicação direta através de reuniões semanais que nos colocam na “mesma página”. - Preocupação com convívio social: proporcionando rodas de conversas interativas, talks com assuntos importantes para o momento e happy (home) hours para podermos curtir um momento juntos de descontração! - Indicações de aplicativos de yoga e exercícios físicos para fazer em casa; ótimas recomendações de livros, músicas, filmes e séries; dicas de como manter a produtividade trabalhando em casa e atividades para passar um tempo com a família, além de indicações de ferramentas para desenvolvimento pessoal, como DISC, via, diário das emoções, setênios, entre outros. Somado a todas essas ações que refletem a preocupação da Sensedia com cada uma de nossas pessoas, a adaptabilidade é crucial para o momento em que estamos vivendo. Diferente do conceito de resiliência, que consiste em amoldar-se diante de uma situação adversa, superar e voltar ao normal quando a mesma acaba, a antifragilidade nos permite além de superar as crises, conseguir crescer e ter inúmeros aprendizados com elas. Eu realmente acredito que em meio a tudo o que temos vivido, nos tornamos anti frágeis e sairemos diferentes dessa, com certeza, muito melhores!

Inteligência emocional em tempos de crise

Obrigado pela leitura!

Voltar ao arquivo