APIs
6
min of reading
October 11, 2022

API’s ou EDI’s? Saiba mais sobre essas tecnologias que se complementam no setor logístico

Joana França
Market Intelligence Analyst
Atualmente trabalha como Analista de Inteligência de Mercado na Sensedia.
More about the author

Em meio a tantas mudanças e transformações digitais, os gestores e executivos de TI do setor logístico se veem inseridos em um amontoado de diferentes soluções e acompanhados de uma grande dúvida: “devo substituir toda a minha infraestrutura de integração baseada em EDI por novas tecnologias como as APIs?”

A resposta para esta pergunta vai depender do cenário de cada empresa, porém, no post de hoje iremos mostrar que é possível, em alguma medida, termos API’s e EDI’s convivendo em conjunto e harmoniosamente

Ao darmos início a debates sobre as melhores soluções de integração e troca de informações entre diferentes sistemas na área de logística, é comum encontrarmos de um lado os que defendem a utilização de API’s e do outro encontramos aqueles que intercedem pelo EDI, tecnologia com mais de 50 anos e bem estabelecida no setor. 

Primeiramente, é importante explicarmos o que são e como cada uma dessas ferramentas de comunicação atuam. 

Eletronic Data Interchange - EDI 

O Intercâmbio Eletrônico de Dados, em tradução para o português, é uma das interfaces mais populares para a transferência de dados entre sistemas. Ela possui padrões pré estabelecidos e com maior uso em setores como logística, transporte e fabricação de produtos. Sua principal vantagem é a redução de trabalho manual, uma vez que automatiza tarefas e facilita o processamento de informações. 

A forte adesão do EDI, principalmente na cadeia de suprimentos, é justificada pela segurança apresentada ao transferir documentos. É através do EDI que parceiras de empresas de logística conseguem enviar grandes quantidades de informações em uma única transferência, como por exemplo notas fiscais e dados de rastreio para o e-commerce. 

Application Programming Interface - API

Traduzindo para português: Interface de Programação de Aplicações é uma tecnologia que funciona como uma “ponte” entre programas e sistemas para que possam interagir de maneira eficaz. As APIs permitem que tais comunicações aconteçam sem a intervenção humana

Em um e-commerce quando o cliente insere o seu CEP para receber o cálculo do frete, a loja virtual utiliza uma API para enviar informações aos Correios, que após realizar os cálculos necessários retorna com os dados requisitados e então o cliente prossegue com o processo de compra. 

A velocidade em tempo real com que a conexão e comunicação acontecem através das APIs é um ponto forte de diferenciação em relação ao EDI. A transferência de dados via APIs acontecem em menos de um segundo, instantaneamente e sem a atuação humana. 

EDI ou API: qual a melhor escolha para empresas de logística?

Esta é uma pergunta recorrente entre os profissionais de tecnologia e a resposta não é tão fácil quanto gostaríamos. Tanto a API quanto o EDI possuem aplicabilidades sustentáveis, portanto, a escolha dependerá dos objetivos e da operação de cada empresa. Em linhas gerais, a API possui características mais modernas e inovadoras e que têm automatizado a cadeia de suprimentos, já o EDI é mais popular devido à sua robustez e confiabilidade no uso. 

Apesar de menos difundida entre os players de logística,  devido ao seu pouco tempo de presença no mercado, a API possui poderes de sincronização e comunicação mais rápidos e eficazes, além da sua notável flexibilidade durante a troca de informações. Entretanto, a substituição completa do EDI pode ser inviável devido ao alto valor dos custos de mudança e adaptação à uma nova arquitetura de TI. 

EDI e API usados simultâneamente

Especialistas e profissionais da área de TI já chegaram ao consenso que as APIs são a tecnologia do presente e do futuro, devido à sua simplicidade, alta escalabilidade e o quanto permitem transmissão de dados em tempo real entre dispositivos, aplicações de negócios e pessoas. Já o EDI, apesar de não parecer tão “animador” quanto APIs, permanece sólido, confiável e entrega o que promete. 

A comparação entre EDI e APIs mostra que ambas as tecnologias possuem pontos fortes e fracos, mas que, em conjunto, podem compensar as lacunas que cada uma deixa de preencher.

 O EDI habilita trocas seguras de grandes quantidades de documentos em um formato padrão entre parceiros comerciais, porém, em termos de transferência de dados em tempo real, o EDI encontra desafios, mas que podem ser solucionados com o apoio de APIs. Já as APIs são desafiadas quando precisam transferir altos volumes de dados, algo que o EDI pode dar suporte com facilidade e aptidão. 

Desviar das APIs não é uma alternativa

Gestores de tecnologia e das áreas de negócios de companhias de  logística não serão capazes de “desviar” do uso de APIs. Se o desejo é permanecer no mercado e ser parte atuante de um ecossistema cada vez mais polarizado, adotar estratégias de APIs é mandatório. Isto devido à necessidade de conexão com parceiros e fornecedores, além claro, de proporcionar experiências digitais para seus clientes

Notamos o uso crescente de APIs em diferentes setores, que consequentemente leva a uma “explosão” de conexões dentro e fora de uma única organização, inevitavelmente trazendo desafios de gerenciamento dessas APIs. Para tanto, um parceiro de solução de API Management mostra-se indispensável. 

A Sensedia é destaque no mercado de gerenciamento de APIs, tendo recebido reconhecimento como “Líder” no Forrester Wave Q3 2022

Gostou do artigoeseja ter uma parceria em seus projetos digitais via API’s? Então, clique aqui para entrar em contato com um dos nossos especialistas!

Thanks for reading!